Pesquisar este blog

segunda-feira, 2 de abril de 2007

Navegar é preciso...

Um dia é preciso parar de sonhar e de algum modo partir...É melhor tomar um caminho, desembarcar dos sonhos e tomar uma atitude!
Mil vezes a perspectiva de enfrentar a pior tempestade do que as normais calmarias sem rumos, sem ir a lugar algum. Barcos de verdade não navegam por acaso... Não existe actividade humana sem riscos...O risco maior da grande viagem está na capacidade de se preparar...
É estranho! Mas, há muito mais perigo dentro do barco do que no pior mar que se possa navegar. É muito mais fácil cometer erros imperdoáveis em águas tranquilas e favoráveis. O que importa na verdade é o material de que é feita a nossa força e a nossa vontade, e não, o barco...
No mar, conta muito mais, infinitamente mais que a experiência, a iniciativa, o respeito e a capacidade de aprender.
É preciso ir além de mares demarcados... Uma travessia não termina em qualquer lugar, mas num ponto preciso, escolhido e alcançado. E, enquanto não se toca esse ponto, travessia nenhuma existe.
A felicidade não depende do conforto, da tranquilidade ou de situações favoráveis. Mas simples e unicamente, da sensação de ir em frente, na silenciosa certeza do que vale a pena viver!
M@

2 comentários:

turbolenta disse...

Manuela
Estou de fugida.
Apenas para lhe desejar uma boa Páscoa
beijinhos

meditador disse...

Bela e excelente alegoria esta da vida, que nos leva a refectir bastante sobre muitas das decisões que tomamos precipitadamente e outras que não tomamos por receio. O talento e a coragem está precisamente em descobrir e "aguentar" o ponto de equiíbrio com firmeza para não nos arrependermos mais tarde. Nós temos é que viver a vida, com sensatez, mas vivê-la. Como dizia no "Clube dos Poetas Mortos": Carpe diem