Pesquisar este blog

quinta-feira, 29 de março de 2007

O Verdadeiro Eu

Ao longo da vida vamos construindo a nossa identidade a partir da nossa história familiar, de nossos relacionamentos sociais e dos valores que nos são impostos pela sociedade como um todo, na maioria das vezes, acontece uma enorme distância entre o que desejamos e o que o mundo espera de nós. Para muitas pessoas, não corresponder à expectativa do mundo simboliza uma atestado de fracasso, de que falharam, não conseguiram seguir o modelo por este definido como o de um ser vencedor….Para estas pessoas, aliás, tomar consciência dos próprios desejos é algo bastante difícil, visto que não desenvolveram o hábito de se auto questionar e reflectir acerca dos próprios sentimentos e daquilo que se lhe apresenta mas que nada tem a ver consigo, o que acontece com todos nós.
Seguem pela vida de acordo com o que lhes foi “ensinado” ser o certo, e sentem-se totalmente impotentes para questionar tais valores. Acham até impossível. Muitas desconhecem as raízes da própria infelicidade e recusam-se a vislumbrar a verdade, pois isto exigiria o reconhecimento de que não possuem a coragem necessária para mudar.A busca da felicidade inclui, para a maioria de nós, a necessidade de reconstruir o próprio Eu, mudando o que for preciso para que nossa vida se adapte aos nossos mais profundos desejosA sintonia entre o que nosso coração deseja, e o que vivenciamos, é a chave para alcançarmos a serenidade, a paz e o equilíbrio interior com os quais todos sonhamos.

Este processo é geralmente bastante doloroso, pois requer que nos desfaçamos de nossas velhas carapaças para que o novo Eu renasça, embora frágil a princípio, como uma criança que se sente insegura ao dar os primeiros passos…Porém, à medida que nos descobrimos senhores de nossa Caminhada, não precisamos mais aparentar o que não sentimos ou viver o que já não desejamos, uma nova força se apodera de nós, um poder interior que nem sequer desconfiávamos possuir.E este poder ninguém conseguirá desviar de nós, pois uma vez desperto ele jamais desaparecerá. Adoptemos a responsabilidade em nossas próprias mãos, é a nossa vida.
Assim, façamos o que pretendemos fazer e nunca o que não inspiremos fazer. Se precisarmos sofrer por isso, que assim seja, soframos. Precisamos pagar um preço por tudo, nada é de graça na vida.Se gostamos de algo que toda a gente condena, magnífico! Deixemos que eles condenem! Aceitemos essa consequência, vale a pena. Se não gostarmos de algo que toda gente considere de belo, isso não tem importância, porque nunca desfrutaremos a nossa vida se fomos seguir a dos outros. É a nossa vida, e, quem sabe, amanhã poderemos morrer... Portanto, desfrutemos dela enquanto estivermos vivos! Ela não é da responsabilidade de ninguém, nem de nossos pais, nem da sociedade, nem de qualquer outra pessoa.
“Trata-se da nossa vida”. Aprendemos desde pequenos a escolher o nosso lugar levando em conta muitas coisas... ouvindo muitas vozes... que falam de felicidade... de sucesso... de poder... e até de servir... que ensinam muitos caminhos que também levam em conta muitas coisas, mas quase nunca a vontade da nossa Alma.Se olharmos ao nosso redor podemos muito bem perceber, onde essas vozes, que, não são as da Alma, eu arriscaria a dizer de TODOS NÓS, levaram o Planeta…

Quando criamos muitos planos e nos prendemos, passamos a vida a defender esses planos, muitas vezes lutando com a realidade que é bem diferente do que sonhamos... E acreditem, pode ser muito melhor do que sonhamos, se nos permitirmos vivê-la. Quando tentamos impedir a vida, de passar... fechando-lhe a porta, pela forma em que se apresenta, gastamos tanta energia, que, quando finalmente ela passa, podemos já não ter forças para vivê-la ou perdemos parte dela. Aceitar o que a vida nos oferece cada dia, pode tornar bem mais leve a nossa existência... Mas para que essa aceitação seja profunda e verdadeira, é preciso abrir mão daquelas coisas que saíram um pouco diferentes daquilo que planejamos... ou muito diferentes.
Se as coisas não aconteceram daquela forma que planejamos, com certeza o nosso não era o melhor plano, e o Universo tinha outro melhor para nós. Mas se resistirmos nem percebemos que planos são esses, e muitas coisas encantadas passam diante de nossos olhos que estão presos ao que deveria ter sido e não foi. É o que acontece com a maioria dos humanos.Deixe a vida entrar e flua com ela! Ela pode trazer-nos o que nunca sonhamos... e aí é que está o Encantamento...
“Se sonhar um pouco é perigoso…a solução para isso não é sonhar menos, é sonhar mais!” -Marcel Proust –
“Viver é a Coisa mais rara do Mundo… a maioria das pessoas apenas existe” – Oscar Wild –
Quando Queremos alguma coisa, todo o Universo e A Natureza conspiram para que se realize. – Paulo Coelho –

Um comentário:

meditador disse...

Gostei imenso destas palavras que fazem pensar profundamente sobre a nossa existência, a nossa maneira de ser e estar no Mundo, de encarar as vicissitudes da vida. Eu penso que este é um dos granded probremas da humanidade