Pesquisar este blog

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Sobre O Teatro

Veio de manhã molhar os pés na primeira onda; abriu os braços devagar, e entregou-se ao vento; o Sol veio avisar... que de noite ele seria a Lua...... Aproveitava os carinhos do mundo, os quatro elementos de tudo, deitada diante do mar; que apaixonado entregava às conchas mais belas, tesouros de barcos e velas, que o tempo não deixou voltar... Onde já se viu o mar apaixonado por uma mulher? Quem já conseguiu dominar o amor? Por que é que o mar não se apaixona por uma lagoa; porque a gente nunca sabe de quem vai gostar... Nenhum medo que possa enfrentar, nem segredo que possa contar.
""Karol Muller""

Um maravilhoso e pequeno conto, misturando filosofia oriental e as novas descobertas da ciência, para então nos iluminar sobre a essência do Teatro. Shiva dançando e brincando no grande mar cósmico que racionalmente tentamos explicar como o vazio, o uno, o absoluto, criou a ilusão das 1001 coisas transitórias, que vindas de lá constituem a nossa realidade e para lá retornam.Foi preciso que assim fosse para que existisse o eterno movimento, que chamamos vida. Criando e destruindo, no contínuo jogo das realidades, Shiva quis uma síntese e pediu a Dionísio que a concebesse. Então, na Terra, Dionísio se embebedou de vida e transcendeu: nasceu o actor e o teatro foi criado. Por isso o teatro se faz a brincar, mas o teatro não é brincadeira, é a dança de Shiva, é o jogo da vida, é a presença do divino. Aí o sonho e a realidade se confundem; aí o homem tomado pelo Amor brinca com todos os sentimentos e todas as paixões para, como instrumento de uma consciência maior, se doar aos outros homens.

Um comentário:

Jofre Alves disse...

Passo sempre com prazer para ver o blogue, alegre e atraente. Jofre Alves